19 mar

Agafarma aposta na união para enfrentar a concorrência

Hoje são 370 lojas no Rio Grande do Sul em 170 municípios

A necessidade de fortalecimento e união de um grupo de empresários do ramo de farmácias para fazer frente aos desafios que o mercado exigia foi o motivo para a criação da Associação Gaúcha de Farmácias e Drogarias Independentes (Agafarma). , a rede foi fundada em 1997, através de uma aliança estratégica de pequenos e médios empresários, como uma resposta prática para o desafio de continuar crescendo dentro de uma condição de acirrada concorrência.

O atual presidente da Rede Agafarma, João Hilário Sott, lembra que, na época da fundação, a grande maioria das farmácias do Estado eram lojas pequenas e independentes. A concorrência levou alguns empresários a buscar uma união que possibilitasse enfrentar esses desafios. “Era um modelo que já vinha sendo utilizado em outros países e no eixo Rio–São Paulo, em razão do fortalecimento da concorrência”, recorda.

Inicialmente, a rede contava com 51 sócios, proprietários de 114 lojas em todo o Estado. Esses fundadores ainda são os proprietários da marca. No entanto, devido à agregação de novos associados, a Agafarma possui hoje 370 lojas no Rio Grande do Sul, estando presente em 170 municípios. O faturamento anual da rede gira em torno de R$ 360 milhões ao ano. “As farmácias que fazem parte de redes associativas representam 20% do mercado gaúcho do setor. No caso da Agafarma, temos um peso significativo, e devemos ser responsáveis por cerca de 10% do total.” Além disso, a associação conta com 2,5 mil colaboradores diretos.

Essa importância se reflete no interesse de novas farmácias em aderir à rede. A cada mês, três a quatro lojas se associam à Agafarma, motivadas pela força e vantagens proporcionadas pela Agafarma.

Outra vantagem apontada pelo presidente é o uso de cartões de desconto, tanto para pessoas físicas como jurídicas. “Temos associados que, graças aos cartões, já saíram agregando 30% a 40% a mais em vendas no primeiro mês após entrar na rede.” As lojas também contam com assessorias para as áreas tributária, trabalhista e cível, bem como para legislação sanitária.

(Jornal do Comércio)

Nenhum Comentário

Assuntos Relacionados

Comentários