20 mar

Evento médico discutiu a formação de uma Central de Negócios em Florianópolis

A Redexpert apresentou conceitos, ganhos competitivos, fatores críticos de sucesso das Centrais de Negócios durante o Fórum Endoscopia Digestiva e o Mercado de Trabalho.

A Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED-SC) promoveu no dia 3 de março, no Hotel SESC Cacupé, o Fórum Endoscopia Digestiva e o Mercado de Trabalho e convidou a Redexpert para falar sobre a implantação de uma Central de Negócios no Estado.

A presença de um grande número de profissionais e representas das clínicas mais renomadas de Santa Catarina demonstrou o grande interesse que a temática do fórum despertou nos membros desta especialidade médica.

No período da manhã, o consultor e diretor da Redexpert Adriano Dienstmann, conduziu o Workshop Centrais de Negócios: Vantagens, Riscos e Funcionamento. Dienstmann apresentou os conceitos, os ganhos competitivos, os fatores críticos de sucesso e os riscos que impactam na implantação, modelagem e gestão das centrais de negócios na área de serviços.

Na abertura dos debates, o presidente da SOBED-SC, Dr. Felipe Paludo Salles, manifestou a sua preocupação em relação as rápidas transformações que estão ocorrendo tanto na área da tecnologia médica, como na relação com os planos de saúde, hospitais e pacientes. O moderador do debate, Dr. Eduardo N. Usuy Jr., chamou atenção que os médicos precisam se preparar melhor para lidar com aspectos negociais como administração de pessoas e finanças, posicionamento estratégico e comunicação.

Adriano Dienstmann explicou que a central de negócios, onde as relações são colaborativas e não hierárquica, proporciona um ambiente seguro para troca de experiências, além de poder prestar serviços de apoio aos seus associados. Desta forma, eles poderão direcionar sua atenção, habilidade e competências para exercer sua especialidade médica.

Ele também apresentou experiências bem sucedidas no Brasil e na Europa que comprovam que as centrais de negócios são um dos formatos mais utilizados no mundo para enfrentar a tendência de concentração de mercado gerada pelas grandes corporações, através das consolidações e fusões.

“O sucesso das centrais de negócios comprova que cooperar e competir simultaneamente gera mais competitividade e longevidade para os atores do mundo dos negócios. Porém, requer mudanças nos padrões tradicionais, tanto comportamentais e produtivos. A ação coletiva pressupõe compartilhamento de recursos e competências para desenvolver soluções que dificilmente seriam viáveis atuando de forma individual”, enfatiza Dienstmann.

Se você quiser conhecer mais sobre formação e modelagem de Centrais de Negócios, clique aqui e entre em contato com a Redexpert.

Nenhum Comentário

Assuntos Relacionados

Deixe uma resposta